Mulher Bola FutebolMuitos direitos que as mulheres possuem na atualidade é fruto de uma árdua batalha por reconhecimento, e com o futsal, não poderia ser diferente.

O futebol feminino começou a ser praticado no início do século 20 na Europa e passou a conquistar o público feminino do Brasil na década de 40.

A estranheza das pessoas foi tamanha que um homem na época, José Fuzeira, enviou uma carta ao presidente do Brasil Getúlio Vargas criticando a prática do esporte pelo público feminino. Para ele, o esporte não podia ser permitido porque era prejudicial à saúde das mulheres, que tinham o corpo feito para a gravidez, e o esporte poderia atrapalhar essa função. Além disso, achava que as mulheres estariam mais propensas à depressão e exibicionismo.

Por se tratar de uma questão de saúde, a carta foi enviada à Divisão de Educação Física do Ministério da Educação e Saúde e logo após encaminhada à sua Subdivisão de Medicina Especializada, que demonstrou total apoio à proibição da prática do futebol pelas mulheres.

Em 1941, surgiu o Decreto-Lei 3.199, cujo artigo 54, afirmava que a prática do futebol pelas mulheres não condizia com sua condição física, portanto cabia ao Conselho Nacional de Desportos (CND) explicar instruções necessárias às entidades esportivas do Brasil. Além de proibir esportes como lutas, polo, polo aquático, rugby, halterofilismo, baseball, futebol, futebol de salão e futebol de praia, dava a lista de esportes recomendáveis às mulheres, tais quais tênis, críquete, natação e ciclismo.

Somente em 1979 esse decreto foi anulado pelo CND e nos anos 80 foram criados departamentos de futebol feminino em vários clubes do Brasil.

Equipes de Futebol Feminino

O ano de maior importância para o futebol feminino foi em 1982, quando as primeiras equipes de futebol passam a surgir, entre elas a Radar Futebol Clube, a de maior notoriedade que revelou jogadoras de grande potencial e, assim passou a desmentir o mito de que apenas homens conseguem jogar futebol.

Início do Futsal Feminino

Em 1983, a Federação Internacional de Futebol de Salão (Fifusa) passou a autorizar a prática do esporte e a Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS) oficializou o primeiro Campeonato de Futebol de Salão Feminino em 1992, a I Taça Brasil de Clubes na cidade de Mairinque em São Paulo.

Em 2002, quando a Federação Internacional das Associações de Futebol (Fifa) já sediava o futsal, surgiu o Campeonato Brasileiro de Seleções de futsal feminino. Em 2001, a CBFS criou o Departamento Feminino que foi dirigido por Inês dos Santos por três anos em São Paulo. A partir de 2003, foi criado um quadro de arbitragem feminino atuante em todos as competições da categoria. Todas essas medidas mostram a evolução do futsal feminino, com o surgimento de novos campeonatos oficiais.

Fatos Importantes do Futsal Feminino

Um dos maiores marcos da modalidade foi a convocação da primeira Seleção Brasileira de Futsal para o Desafio Internacional. Em 2005, a Seleção foi convocada para amistosos com a Espanha.

Entre os campeonatos disputados por equipes femininas, estão:

  • Liga Futsal Feminina;
  • Taça Brasil;
  • Campeonato Brasileiro de Seleções, dentre outros.

Em cada temporada dos campeonatos, surgem novas participantes e aos poucos houve maior investimento no futsal praticado por mulheres. Esse desenvolvimento foi tamanho, que a Seleção Brasileira de Futsal feminina foi considerada destaque internacional. A seleção oficial brasileira participou do Campeonato Mundial Feminino de Futsal e do Campeonato Sul-Americano de Futsal Feminino. Sendo que no primeiro, foi hexacampeã mundial, nas edições de 2010, 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015.

Pelo mundo também existem jogadoras que ganharam destaque como nos campeonatos dos EUA, na Europa e na Ásia.

Esporte Olímpico Feminino

Assim como no futsal masculino, a equipe feminina também luta para o esporte fazer parte do programa olímpico, já que nas Olimpíadas de Sidney, em 2000, participou apenas como um esporte demonstrativo.